quinta-feira, 14 de abril de 2011

Perde e ganha

as chances de nos conhecermos entre milhões de pessoas ao nosso redor é muito pequena, ainda menor é a chance de, apenas pela vista, você se interessar por mim. e entre tantas possibilidades e chances, mínimas são aquelas que seriam resultados da minha ação de ir e ficar de frente para você, as chances diminuem mais ainda quando se leva em conta a minha fala, e mais drástica é a situação quando levamos em conta se você vai gostar. provavelmente, quase com certeza, você não iria gostar da minha aparência, e se gostasse, quais as reais chances de você gostar do meu jeito, ou gostar e mesmo assim achar que nós não combinaríamos nem daríamos certo. as chances que fossem resultados de uma chance que vc me desse ao acaso seriam grandes comparadas ao pós-acontecimento. quais as chances de dar certo de verdade? se é que existe chance de que você queira que dê certo. você tem medo. não de mim, nem de você mesma. você tem medo de estatísticas e probabilidades. tem medo do que é incerto e não consegue atirar-se no escuro, quer garantias. e até mesmo antes disso, adota como 'não' a primeira resposta. as chances já são infinitamente pequenas e você ainda não quer dar oportunidade para o improvável. está magoada com o passado e teme que a probabilidade mínima anterior que se realizou, possa se realizar de novo e acabar abrindo as feridas que já estavam quase curadas. você tem medo. então não me culpe. tudo era favorável ao meu fracasso, e nunca me importei com probabilidade nem com estatísticas. as venci, tornei o irreal e impossível em algo viável e bom, mas foi você quem fracassou. quem perde é você!


não deixe um grande amor passar batido por você, se jogue, agarre-o. mesmo que não o faça e não se arrependa depois, te digo: você estaria muito melhor com alguém que é doido por você, do que aí feliz sozinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário