quarta-feira, 24 de agosto de 2011

despedida

e hoje eu não vou trabalhar
não quero saber se o sol nasceu
se a flor que plantei cresceu
hoje eu não quero ver o mar
não quero saber das canções que ja cantei
dos lugares onde eu já passei
dos sentimentos que ja senti
e do que passei pra chegar aqui,
eu vou falar mais baixo
pra mode não te acordar
se é domingo ou se é sábado
você continua a sonhar
então vou falar mais perto
para que mesmo dormindo
você possa escutar
as canções que não cantei
e as que ainda não escrevi
dos lugares que passei
em todos eu te vi
e que mesmo que nos impeçam
e que não nos deixem rir
nunca irei te deixar partir
falarei mais baixo então
mas direi as coisas certas
pra que possam chegar ao coração
que lutei tanto para conquistar
falarei das guerras
que sozinho enfrentaria
das batalhas, trincheiras
eu não fugiria
e sentiria no peito
o coração que arde
defendo o mesmo
motivo pelo qual ele bate
que entre essas quatro paredes
que estamos nós dois
não fugiria de nada
mas deixaria pra depois.