terça-feira, 25 de junho de 2013

Ciúmes

Abre a porta meu bem
o que é isso?
Por que esse ciumes, em?
Eu tava ali na esquina
no botequim
e aquela menina,
eu posso explicar,
ela só queria saber,
apenas esclarecer
o porquê de tanta beleza
na escrita da poesia
disseram que eu era o poeta
da rua, do bar e da lua
então eu falei que era fácil
que em casa estava a inspiração
pros versos que fiz no verão
e o motivo pra ter ficado em casa
quando o inverno a rua castigava
e que quando saía pro mundo
levava um sorriso confiante
por ter deixado tudo
que é mais sagrado em sumo
em sono aconchegante
falei pra ela que deixei na cama
o motivo para aquelas rimas
e disse que quem ama não brinca
então acabei o meu copo de cerveja
fechei a conta da mesa
e subi correndo pra te ver
então abre a porta vai
quero agora te prometer
olhando em seus olhos
que ninguém gosta tanto
muito menos quanto
eu gosto da mulher que amo.

Penitência

Colecionando desilusões,
desconstruindo paixões
e desmontando o coração.
O rosto chora, a alma implora,
a existência resumida a penitência.
Em seu quarto, à horas, a menina,
desolada ora e pede por seu amor de volta.

A lua maltrata as lembranças
de quem prometeu estrelas a outro alguém,
a noite vagarosa e fria tortura a mente
dos que sentem a falta de outro alguém.
"Por que tem que ser ser assim"?
Triste fim essa história que não teve início.

Amores estragam músicas que amávamos
poesias que líamos com esperança
de filmes que assistíamos desde criança.
Todo som só faz lembrar dela
e os versos cretinos
te fazem vê-la ainda mais bela
mesmo com a ferida ainda recente
o filme ainda passa em nossa mente

Domingo era pé-de-cachimbo
mas virou com ele o dia do sofá
ver, deitada, o futebol
torcer junto pro time enfim ganhar
almoço em família, rede, sol
agora não tem mais nada
e ainda responder pra minha tia chata
que não sou mais a namorada.

O amor geralmente dói e quebra
na frente conserta e depois atropela
cai do céu como providência
mas as vezes machuca como consequência
Vivemos sofrendo ou sorrindo
de amor vivemos e não escondemos
somos felizes assim.

Mochilagem

Foi lendo Kerouac que tramei umas viagens
do Tibete até o Iraque, da Itália ao Macapá.
Vou comprar duas passagens, arrumar minha bagagem
e sem pilantragem quero mesmo te levar.
Eu sou louco e você sabe, por você exclusividade.
Nós estamos a margem de um sonho realizar.
Não é preciso coragem, se pensar com honestidade
sei que em qualquer cidade comigo cê quer ficar.
Retoque a maquiagem, ar de seriedade,
aproveite a paisagem pro momento eternizar
numa foto, para rirmos da saudade sem maldade
por toda a eternidade ao seu lado quero estar.




Vamos devagar

Calma, amor, vamos devagar. Eu sei, você gostou mas vamos devagar. O dia passa e a noite vai chegar, aí a gente se encontra no mesmo lugar pra te perguntar sobre o seu dia, e dizer que bem que você podia me dar aquele beijo de despedida sem precisar estar de saída. Você se amarrou, eu sei, mas vamos devagar. Se tá na chuva é pra se molhar, eu sei, mas vamos devagar. Nós vamos ficar, nós vamos. Nós vamos dançar, nós vamos. Não tem problema em fazer planos, mas por outras vidas já passamos, então vamos devagar só pra não se machucar. Eu vim foi pra ficar, então não precisa duvidar. Vamos fazer amor, nós vamos. Caminharemos na praia, nós vamos. Não é por acaso ou por engano, nós somos o que somos, então vamos devagar só pra poder voar. A gente fica assim juntinho colado, rosto a rosto, perna trocada pra sentir o seu gosto. Escorados na janela, na cozinha cravo e canela, na cama homem e mulher; é o que todo mundo quer -felicidade de domingo a domingo. Não estou nem um pouco arrependido, muito menos apressado. Esqueça o passado e vamos devagar, um passo por vez, esqueça a timidez e vamos a vida inteira juntos ficar. Assim devagar pra nunca atrasar. Sem pressa mas com a certeza de que iremos chegar.

Valsinha

Ruivos encantos os
Seus cabelos são
Um sonho pra viver
Sonhando a vida é
Melhor assim: você
Perto de mim pra ver
Sair o sol, ouvir
Tocar um som que te
Lembre sua casa
pra que assim possa se
Sentir tranquila pra
Poder trocar ideia
Falar sobre qualquer
Que seja o assunto
arrodear o mundo
olhares profundos.
Adivinho tudo seu
Mostro o mais belo eu
E deixo assim pra ver
Você gostar de mim
E a gente sabe que
Nunca termina a
Vontade de se ver
Te disse te amo
Te disse que os anos
Custaram a passar
Mas eu cheguei e
Vim aqui para fazer
Você feliz ao som
De jorge ben, menina
Por causa de você
Valorizei a rima
E fiz essa valsinha
Pra dizer que você
é o que eu mais queria
Não te farei mal
Só te trarei a paz
E olha, veja só,
Meu bem, me chama
Você não é a primeira
Mas a ultima e
Unica que reina
com a beleza nos,
mais belos vistos,
que a olhos nus
pude conhecer.

Amante amado

Ela não quer mais
ele cisma de vez
mas na primeira chance
ela liga e faz
a chama reacender
de olho no lance
a regra é clara
quando um não quer
não tem briga
e também o contrário
sem consentimento
não tem reaproximação
pode ter sentimento
mas não tem ação
mordem as orelhas
arranham as costas
noite claro, olheiras,
ele não liga, ela gosta
madrugada estrelada
os dois fugiam
do que eram
mas não do que sentiam
se refugiavam
se defendiam
recordavam
dormiam
se amavam
por anos assim
por todas as vidas
em que tiveram
até se encontrar
entre idas e vindas
eles souberam
arriscar.

Como dizia o síndico

Somos síndicos das nossas próprias almas. Administramos as nossas falhas, admitimos os erros, e prestamos contas sobre o fechamento do dia em relação a nossas ações, se fomos coerentes com nossos princípios. Somos agentes de mudança, mas somos nossos próprios críticos. Nada dói tanto quanto o arrependimento, nosso próprio reprovamento, olhar no espelho e sentir desprezo. Peso na consciência, retroativa ciência, choro na essência. Gosto de ser, como diria Raul Seixas, metamorfose ambulante. Me amarro na ideia de ser exagerado, como Cazuza, ou o último romântico dos Los Hermanos, mas nada me deixa mais orgulhoso do que ser o que eu quero ser, de ser completamente amado e ser irremediavelmente amor. Vinte e quatro horas por dia eu sou paciência, sete dias na semana eu sou tranquilidade, doze meses por ano sou feliz, e todos os anos por vida continuarei a ser amor, e quando eu não for nada disso, serei perdão. Nada emociona tanto quanto o perdão, nosso próprio recomeço, olhar no espelho e sentir orgulho. Somos síndicos e administradores falhos, erramos um bocado e erraremos muito mais ainda, e acabamos abrindo feridas e deixando estragos por onde passamos, mas a vida é isso. Amor, perdão, paciência são a chave para a felicidade diária. Que você mude o mundo, mas depois de conseguir mudar você mesmo.

Filho

Deixo as estrelas caírem aos meus pés
e os tragos do cigarro me tranquilizarem
transcendendo a máxima que disseram
calma na alma, amor e paz.

Um samba-rock no estúdio
a cabeça de vez nos estudos
a minha coroa não me deixa esquecer
que preciso disso pra poder crescer.

Sou moleque e irresponsável, eu sei,
no reino da preguiça, eu sou o rei,
alguns querem que eu diga que mudei
mas sou exatamente o que sempre sonhei.

Durmo tarde, acordo tarde, sem sonhar,
acordado alcanço meu nirvana pessoal
choro quando tenho vontade de chorar
e me calo pra poder melhor me escutar.