terça-feira, 8 de março de 2011

estavam conversando e se entendendo, e aquilo era completamente normal entre os dois. se davam muito bem e consideravam ter gostos bastantes parecidos. ela era apaixonante e ele radiante. desde que se conheceram, notaram as afinidades que cercavam e aproximavam os dois, e agora estavam ali. poderia ser uma oportunidade do destinho ou então uma ocasião que faria com que apenas confirmassem o tamanho do sentimento de amizade entre eles.

sonhos não determinam o futuro, ou pelo menos não deveria ser assim que as coisas acontecem. o sonho que ele teve ha algum tempo atrás não o deixava em paz e o fez refletir. primeiro ficou sem entender o palpite que o seu subconsciente dava sobre a situação, depois desejou que ele estivesse certo.

a fascinação que ele tinha pelo cenário e pelos personagens que formavam o espetáculo que era o céu, o fez ficar parado por horas enquanto observava e contava estrelas. dois pontos cruzaram e rasgaram o céu em duas direções diferentes, mas no mesmo tom de luminosidade. começavam com uma luz muito clara e amarelada e deixavam rastros em degradê até chegar a um tom esverdeado. estrela-cadente ou cometa, duas coisas diferentes ou a mesma coisa. não importava para ele a denominação, mas sim a beleza que chegava aos seus olhos. automaticamente pediu a primeira coisa que viera a sua cabeça.

a fascinação dela era outra. completamente apaixonada por palavras e expressões. ele não sabia de tamanho fascínio da parte dela, mas acabou descobrindo. estavam conversando e ele foi lá e fez o que te parecia cabível na situação. após frustrar-se, sentiu-se um completo idiota, mas não teve tempo o suficiente para se convencer mesmo de que sonhos não se realizam, e aí, aconteceu. não foi exatamente como acontecera no sonho dele, mas tinha sido justamente o que ele havia pedido.

romance em pequenos contos é o que parecia para ele a situação. ela era uma pessoa incrível e o fez ter certeza que se mesmo que não houvesse sonho nenhum na história, ele tentaria tornar a situação possivel do mesmo jeito. ele estava fascinado com aquele sorriso celestial e ela encantada com todas aquelas palavras que chegavam aos seus ouvidos de forma segura e, ao mesmo tempo, suave. palavras que chegavam juntas com beijos que faziam a noite, cada vez mais, tornar-se inesquecível.

não adiantaria enumerar qualidades, qualquer um seria capaz o suficiente de perceber. os defeitos dela é o que a tornava tão... as palavras dele que a conquistaram, agora faltavam. estavam encantados com a situação, mas não é o ontem ou amanhã que importava para os dois, e sim o momento, o presente. e eles aproveitaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário