sexta-feira, 4 de março de 2011

Carnaval sem fim

carnaval no calendário mas não dentro de mim. o frevo tocava ao meu redor enquanto mil pessoas se distraíam, riam e se divertiam sem parar, eu estava ali, mas também não estava. fisicamente, era lógico e visívele que estava presente, mas minha alma não. primeiro desejei, depois fiz uma projeção, na verdade estava mais para um sonho lúcido.

você e eu. um carnaval cheio de blocos alegóricos dentro de mim. vários sóis nascendo sem parar. ali sim eu me sentia feliz. sustentei minha ilusão e vivi tão intensamente tudo aquilo que até até sinto seus olhos cruzarem minha pele como facas afiadas que faziam jorrar, ao invés de sangue, incensos que acendi para não esquecer.

Um comentário: