segunda-feira, 4 de março de 2013

Sorria, você está sendo.

Engraçado como o seu sorriso me faz falta. De todos os que vi por toda a vida, todos os dias, ou uma vez na vida, o seu é o que mais me marcou. Forte e sensível, desconcertante e bonito, inconsequente e tímido. Dente por dente, lábio a lábio, você o esculpiu em minha alma. Sorrindo tão linda, tão jovem, tão minha. Uma estrela caiu na terra quando você sorriu pra mim. Aprendi a lidar com eles; sim, vários deles, a todo momento, a todo instante, um novo aparecia, diferente dos outros. Então eu tive medo de não merecê-los, de não achá-los novamente, de não ser o motivo de nenhum deles. Eu vi em seus olhos sua alma, mas seu sorriso foi quem devorou a minha. Estou perdido sem saber como agir, lidar ou falar. Sorri de mim.

Sorri comigo.
Sorri de piadas.
Sorri com os livros.
Pergunta o final do filme,
quando começamos a assisti-lo.
Sorri de tudo,
até do perigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário