terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Tornar o amor real é expulsá-lo de você

Exorcisei meus medos para parecer mais seguro e aí esperei. Você veio e quando viu a embarcação que te ofereci, você cedeu, apostou que ali não viraria em hipótese alguma e decidiu viajar comigo. Pedi sua mão e não quis só o braço, quis você por inteira, quis teus olhos profundos e teu corpo. Quis teu coração e a tua alma. Eu te fiz promessas mil e você confiou, e sem que pedisse, se atirou em forma de mergulho no mar onde eu disse que estaria te esperando, onde eu disse que te mostraria um mundo mais bonito e sem preocupações onde você deveria estar, onde alguém com uma beleza igual a sua deveria morar.
Você mergulhou de cabeça nisso e agora estamos aqui. Me fiz seguro para poder sustentar toda a estrutura, para que vento nenhum que chegasse, derrubasse tudo que construiríamos. Me fiz estável para poder suportar suas dores, tristezas, alegrias, aspirações e devaneios. Me fiz amor, me fiz melhor, faço de tudo porque é o que você merece.
Eu sou doido por você. Obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário