quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Polivalente

polivalente, sou tudo o que te faz bem. posso ser seu sorriso, posso ser sua mente. sou no amanhecer tudo o que você quiser. sou sua alma crescente na lua cheia de esperanças e que, com o coração na mão, espera atenciosamente a hora em que você abra a porta e apareça para mim, assim como o amanhecer, como o sol que ilumina a tudo e a todos.

vou me ajustando aos seus braços que comandam toda a água do oceano, vou me acomodando em sua mobília e me tornando indispensável. seu jeito presente torna ausente os problemas que estaciono lá fora antes de passar pela porta que nós decoramos todos os anos no natal. seu sorriso aquece o chocolate quente em cima do centro da sala de tevê. o sofá nos cabe perfeitamente, suas pernas que te trazem até aqui são as mesmas pernas que agora estão sob os meus cuidados, enquanto você tira um coxilo depois de tentar salvar todo o mundo acolhendo-o sob seu próprio zelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário