domingo, 24 de fevereiro de 2013

êta vida de cão

Acordei com o maior solzão na cara. Era um pouco mais que 10 da manhã, quase ninguém havia acordado ainda, mas já estava rolando RHCP na som que fica na sala. Levantei, me espreguicei, tomei um pouco de água. Procurei em minhas lembranças o que teria de bom para fazer pelo dia. Ainda meio devagar, fui rodar por todos os cômodos. Arrastei algumas meias pela casa, mordi algumas sandálias. Entrei no "quarto-grande" e com um pulo só subi na cama. "Esse cheiro é tão bom". Distribui alguns carinhos, recebi vários sorrisos ainda sonolentos e ganhei mais carinho do que dei. Pulei da cama e fui direto pra cozinha. Recebi um olhar bastante atencioso. "Hmmmmm, cheiro de carne assada... amo carne assada". Minha tigela de ração estava no canto, dei umas mastigadas meio sem vontade até ganhar dois pedaços do almoço da galera.

A tarde eu tirei um pequeno cochilo. O calor era tanto que até pensei em tomar banho! - mas a loucura foi momentânea. Com os neurônios funcionando normalmente, peguei a coleira com a boca e fui até a porta da frente. Dois latidos e pronto. Já estou passeando. A melhor parte do dia! Ar fresco, amigos da vizinhança... Não se enganem com a minha rua, ela é bastante tranquila mas aqui a paquera rola solta. Olhares que se desviam, focinhos que se tocam. Acho que vivo em um paraíso.

Quando o sol cai, a fome aperta de novo. Mais um pouco de exibição na cozinha: barriga cheia novamente. A sala é o meu lugar predileto, a noite inteira rola filme, música e até novela. As vezes até me vejo na televisão nos comerciais, que engraçado não é? Deve ser coisa da minha cabeça. Que vida boa.

NOEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário