quinta-feira, 14 de outubro de 2010

vira, volta, late

sem muita denotação e arrodeio. direto e reto. as coisas não estavam indo muito bem e nada costumava dar certo. o pior mesmo era tudo ter virado uma rotina cansativa e exaustante. todos moramos no mesmo teto, temos o mesmo sangue mas somos diferentes um do outro, e mesmo assim estávamos acostumados com tudo. o respeito sempre prevaleceu sobre qualquer que fosse a relação. não somos a melhor família nem a mais unida, também não temos graves problemas e somos totalmente desunidos. somos uma família como qualquer outra, mas era a vida que tinha se transformado. acostumados com um padrão agradável estacionados no meio da grande e desigual pirâmide de classes brasileira.

quando a gente menos espera, mais acabamos nos surpreendendo. a gente toma uma rasteira e nem percebe o que nos atingiu. quando percebi já estava estirado no ringue, tentando olhar para o céu, clamando por ajuda divina. problemas de saúde vieram começaram a constar no orçamento familiar. o saldo passou a estar abaixo do necessário e as dívidas acumularam-se.

é díficil entender quando tudo acontece assim tão rapido. com a cabeça no lugar e com tranquilidade a gente consegue dar a volta por cima, mas é um caminho longo. aí entrou em prova tudo o que havia dentr de casa, como nossos laços afetivos por exemplo. todos estavam mais sensíveis e a ponto de estourar. a casa virou um barril de pólvora e qualquer faísca o explodiria.

eu fico me perguntando: como uma coisa tão pequena dessas conseguiria um resultado tão positivo em meio a toda essa maré de negatividade? mas sim, ela conseguiu trazer muita alegria. chegou desconfiada, olhando com o canto do olho. espreitando-se e meio tímida foi conseguindo a confiança de todos aos poucos. muitos aqui em casa não gostaram da ideia no inicio, mas agora parece que ela está aqui há tempos, parece que ela sempre esteve aqui e a gente que nunca percebeu.

é tão bom chegar e ser recebido tão bem assim, tão bom chegar a hora que for e receber de você só atenção. é engraçado, sempre imaginei o contrário, mas estou tão apegado, ela me encantou de uma forma. acho que eu abri as portas sem querer, e quando me toquei ela já estava bem acomodada lá dentro. melhor amiga e companheira, conquistou a todos e todos hoje a querem muito bem. ela enfim, devolveu toda a alegria que a casa precisava. é um novo ânimo, uma nova casa, um novo fôlego. obrigado.

2 comentários: