terça-feira, 25 de outubro de 2011

sem ar/rependimento

tomaria de egoista o controle que rege toda a linha do tempo, e colocaria o futuro do universo inteiro em minhas maos. se eu tivesse essa chance, não estaria aqui escrevendo linhas tão tortuosas, muito menos chorando lágrimas tão impiedosas. apagaria os erros que cometi, mesmo não tendo certeza deles, afinal só saberia mesmo se seria uma completa tolisse se eu pudesse voltar atras e permanecer do seu lado, ao invés de fugir.

falei antônimos do que senti, senti atônito o que vivi. escutei as musicas e reli as cartas que falavam de nós dois, relembrei a sensação dos meus pés descalços cheios de areia pisando sobre o chão brilhante da nossa casa. e como esquecer? tudo isso vem me atormentando como uma enxaqueca, daquelas de sentir sob os olhos que te faz torcer pra que o proximo dia chegue depressa.

sem pressa. o sono não vai chegar. os sentimentos vêm em correntezas e eu cansei de nadar contra. não quero me sentir arrependido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário