domingo, 31 de julho de 2011

La fontana dei desideri

Cecília e o amor. poderia ser um livro cheio de crônicas, todas cheias de diferentes histórias encantadoras e finais iguais. ela esteve por todo o mundo, viveu amores em todas as estações do ano, mas adorava mesmo o inverno e a Itália. adorava pintar as unhas com cores discretas, milhares dela. adorava cantar e tocar piano, se encantava com programas sobre animais e amava demais.

ninguém no mundo está a altura de Cecília. já que contei, todos agora sabem, menos a própria. ela sempre se entregou a paixões, mas nenhuma delas a merecia. seus olhos são repletos de poesia, encantadoras estrofes e refrões inteiros de uma harmonia. ela sabia tudo sobre o amor, pesquisou em filmes, livros e histórias que ouvia. histórias essas que começaram a ser colecionadas por ela ainda na barriga da mãe. seu pai as contava e desde cedo ela foi cercada pela maior variedade de contos, e adorava principalmente os românticos. amava todas as histórias que ouviu da infância até os 15 anos, quando seu pai morreu de câncer. Cecília nunca esqueceu a última história que ouviu enquanto ele ainda estava no hospital.

(...)

jogou duas moedas enquanto esfregava os olhos secando as lágrimas. esboçou um sorriso em meio a um pequeno choro e suspirou. veio logo a tona uma imagem alegre de seu pai contando sobre a fonte dos desejos. então finalmente foi procurá-la. desejou que todas aquelas histórias de romance que ela mesmo viveu acabassem. se não fosse pra viver um final feliz, ela preferia ser feliz sozinha. foi sua ultima tentativa, Cecília e seu coração não se entendiam mais. mas essa história que vos conto não é mais uma triste, não poderia ser. durou 2 semanas. a fonte dos desejos ficava na Itália, ela se mudou para o lugar onde viver viver e sonhar se confundiam. só faltava algo na vida dela. pronto, não faltava mais.

Bernardo estava na cidade para visitar a avó italiana. adorava o café da esquina do hotel onde ficava. foi lá onde começou a última história de Cecília, que até hoje continua a ser contada. ela desejou um amor firme e real. ela não planejou, apenas jogou as moedas e acreditou no seu desejo, acreditou que merecia viver um final feliz. ele pediu a conta e quando o garçom trouxe o seu troco acabou tropeçando e deixando cair várias moedas no chão. ele prontamente ajudou a catá-las enquanto o garçom ria sem graça. enquanto tentava se desculpar em um italiano enrolado, Bernardo já estava atraído por tanta poesia naqueles olhos que o acertou lá no fundo. Cecília estava apenas devolvendo uma moeda e ele estava devolvendo as esperanças que ela vive no amor até hoje.

2 comentários: