quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Espontaneidade

o que seria ser espontâneo? saber escrever espontaneidade sem necessitar consultar o dicionário ou acabar abrindo o jogo e dizer: "foda-se, eu não sei escrever mesmo"? acordar e saber tudo o que fazer ou acordar e fazer tudo sem saber? hoje eu venho em busca da total espontaneidade. escrevo letra por letra e os sentidos vão aparecendo, as frases tomam forma, o corpo do texto, a mensagem, as figuras de linguagem. as ideias vão saindo por uma ponte que vai da minha cabeça e fluem até a tela do computador, voltam pela retina dos meus grandes olhos e encaixam-se na razão que sempre faltou a toda essa sensação de insegurança que me toma por inteiro e me consome.

eu tenho vontade de dormir, mas isso não seria espontâneo. eu queria comer, assistir o jogo que vai passar na televisão mas isso é tão óbvio. a insensatez e o sentimento de exatidão me incomodam, as coisas que mais estão presentes me puxam para a estaca zero. sair por aí sem saber onde vou chegar, isso é tão clichê. coitado de mim. quero ser um cara diferente e espontâneo, e não consigo nem ter pensamentos imediatos, novos e que me tirem do próprio poço em que me afundo em ressaca e monotonia.

nada acontece. vendo daqui de cima, o mundo é até engraçado. todas essas controvérsias e contradições humandas já me tiraram muito do sério, mas hoje em dia eu não estou mais aí pra ninguém. achava que o simbolo da espontaneidade estava em falar as coisas que viessem na cabeça, mas nada é tão manjado quanto isso. então parei de criticar os outros, parei de tentar ajudar, deixei de não acreditar na política e passei a apenas ignorá-la com risadas auto-sustentáveis.

declarações de amor. coisas lindas pra se dizer para uma personalidade forte e idealizada em sonhos e filmes de comédia romântica regadas a muita pipoca e coca-cola. flores e chocolates para a amada. ensaiar coisas mil para dizer e na hora falar coisas que nunca haviam te esclarecido. espontâneo? não. um dia isso foi, mas hoje o próprio amor foi embalado em caixas de veludo e vendido em qualquer lojinha pequena por aí. o 'eu te amo' foi banalizado e usado de formas diferentes e erradas. é dificil ver o que fizeram com o sentimento encantador que ele foi um dia.

ser inconsequente ou irresponsável eu não sei, espontâneo ou não, também não sei. mas há de se concordar que nada é tão bonito quanto a dúvida que não nos falta em qualquer das situações.

Um comentário:

  1. acha que o melhor de ter um blog é saber que as pessoas que estao lendo,se identifique com o que vc fala.gostei muito,so por um texto lido eu achei muito de meus pensamentos de uma forma concretizada e organizada que ate hoje nao conseguia fechar. vê se atualiza mesmo quando puder,vou fica de olho aqui (: kkk

    ResponderExcluir